WARM-UPS

ABRIL
30 de abril | 18h30 CIDADES INTELIGENTES: ESTRATÉGIAS E TECNOLOGIAS
UFF – professor André Guedes (LITS-UFF)
Local: UFF / Faculdade de Administração – Campus Valonguinho (Próximo ao Plaza)
A ideia desta Warm-Up é oferecer aos participantes uma visão geral dos conceitos de Cidades Inteligentes e da chamada 4ª Revolução Industrial. Sob este ponto de vista, os municípios devem ser visualizados sob a ótica da gestão integrada dos territórios, com sistemas de pessoas interagindo e usando serviços de infraestrutura urbana, como internet, energia, transportes, segurança, saúde e tantos outros em prol do desenvolvimento econômico e a melhoria da qualidade de vida da população.
+ informações
MAIO
9 de maio | 18h30 RISCO, DESASTRE E RESILIÊNCIA: UM DESAFIO PARA AS CIDADES BRASILEIRAS COM ATIVIDADES EXTRATIVISTAS DE RECURSOS NATURAIS / A TECNOLOGIA EM FUNÇÃO DA PREVENÇÃO DE DESASTRES: O CASO DE NITERÓI
UFRJ – Victor Cunha/ Defesa Civil de Niterói – Tenente Coronel Walace Medeiros
Local: HUBNit / Rua General Andrade Neves, 31 – 8º andar – Centro Niterói/RJ
Riscos, desastres e resiliência: um desafio para as cidades brasileiras com atividades extrativistas de recursos naturais As mudanças climáticas têm trazido à centralidade dos debates o que se convencionou chamar de “o novo normal” para as condições de aumento generalizado das probabilidades de desastres naturais. Nesse contexto, aumentam também os riscos sociais e ambientais em cidades costeiras, ribeirinhas e montanhosas. Muitas dessas cidades no Brasil possuem cadeias produtivas baseadas na extração mineral, exploração e produção de petróleo, além de pequenos produtores rurais, pescadores artesanais e outras atividades de subsistência. O trabalho busca uma reflexão acerca da prevenção de acidentes naturais além daqueles imanentes às atividades potencialmente poluidoras para com base na Estratégia Internacional para a Redução de Desastres (EIRD), no sentido de avaliar a capacidade de resiliência de algumas de nossas cidades atingidas.
+ informações
13 de maio | 18h30 PLATAFORMA METROPOLIS
NVIDIA – Pedro Cruz ( Solution Architect Manager)
Local: HUBNit / Rua General Andrade Neves, 31 – 8º andar – Centro Niterói/RJ
A plataforma Metropolis da NVIDIA permite aos clientes aplicar a A.I. em todas as transmissões de vídeo para criar cidades mais inteligentes. Essas gravações são os maiores geradores de dados do mundo, capturados por centenas de milhões de câmeras implantadas em áreas como propriedades do governo, transporte público, prédios comerciais e rodovias. No ambiente acelerado de uma cidade, há um número quase infinito de atividades acontecendo e a análise inteligente de vídeos pode resolver questões em que uma observação feita por seres humanos pode falhar.
+ informações
16 de maio | 18h30 PROJETO GEOVIAS / SIGEO: SISTEMAS DE GESTÃO DE GEOINFORMAÇÃO
Câmara Metropolitana – Pedro Cascon e SIGEO – Victor Vale
Local: CDL / Rua General Andrade Neves, 31 (sala Emílio Abunahman, 4º andar) – Centro Niterói/RJ
GEOVIAS
O principal objetivo do Geovias Metropolitano é a construção de uma base unificada e atualizada das redes de infra-estrutura, aéreas e subterraneasdas concessionárias e prefeituras dos municipios, através do desenvolvimento de um sistema de informações capaz de atender às demandas da gestão, planejamento e coordenação de obras e projetos de forma integrada na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

SIGEO
O SIGEO NITERÓI é uma plataforma que disponibiliza e sistematiza toda a geoinformação (informação georreferenciada) da Prefeitura de Niterói. No SIGEO NITERÓI é possível acessar uma base cartográfica da cidade e outras informações disponíveis para o público em geral.
This form is currently undergoing maintenance. Please try again later.
+ informações
22 de maio | 17h DESIGN THINKING PARA O FUTURO DAS CIDADES E O DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES
ECHOS
Local: HUBNit / Rua General Andrade Neves, 31 – 8º andar – Centro Niterói/RJ
O Design Thinking é uma abordagem que permite revolucionar a maneira de encontrar soluções inovadoras para os problemas e desafios das organizações, empresas, governo e sociedade, focadas nas necessidades reais do mercado e sobretudo nas pessoas. Dessa forma, diferente do que comumente acontece, as soluções encontradas a partir do design thinking não acontecem com base em dados e estatísticas, mas sim a partir das pessoas impactadas pela solução em questão. Nesta Warm-Up, o objetivo é apresentar uma ideia geral do conceito e das ferramentas envolvidas com o Design Thinking.
This form is currently undergoing maintenance. Please try again later.
+ informações
30 de maio | 19h CRIATIVIDADE: INSPIRAÇÕES PARA NOVOS CAMINHOS
Casa FIRJAN – Marcelo Ghizi
Local: Casa FIRJAN / R. Guilhermina Guinle, 211 – Botafogo, Rio de Janeiro
Ideias emergem de um modo específico de pensar e nem sempre nascem prontas. Muitas vezes elas surgem simples e incompletas e você precisa fazer as conexões para que elas possam crescer. Neste warm-up você vai colecionar inspirações e aumentar seu repertório, conhecer modelos mentais de diferentes profissionais e experimentar algumas ferramentas que funcionam como gatilhos que podem disparar seu potencial criativo e aumentar sua capacidade de resolver problemas complexos de forma original e inovadora. É sobre inspiração, mas também sobre produtividade.
This form is currently undergoing maintenance. Please try again later.
+ informações
JUNHO
06 de junho | 18h30 COMO FAZER SOFTWARE SEM RASGAR DINHEIRO
SEASONED – Henrique Bastos
LIVE
A ideia da Warm-Up é fazer um bate-papo sobre como agregar valor na confecção de softwares.
BIO: Henrique Bastos é instrutor, palestrante, desenvolvedor, consultor com experiência internacional e fundador da Autonomize.se, uma empresa que promove a autonomia das pessoas; da Dekode, que atua em consultoria e treinamento; e da Seasoned, que atende o mercado de start-ups com desenvolvimento de softwares.
Acesse a Live: https://youtu.be/CEz75ECUTiQ
This form is currently undergoing maintenance. Please try again later.
+ informações
Acompanhar a live
13 de junho | 18h30

STARTUPS: O DESAFIO DE PROSPERAR UMA IDEIA
Agência de Inovação AGIR – UFF
Local: UFF/ Auditório AGIR – Campus Praia Vermelha- Prédio Novo da Física

This form is currently undergoing maintenance. Please try again later.
+ informações
27 de junho | 18h30 PENSANDO A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NA VIDA EM SOCIEDADE
UFF – professor André Guedes (LITS-UFF)
Local: UFF/ Faculdade de Administração – Campus Valonguinho (Próximo ao Plaza)
Transformação Digital é um processo pelo qual organizações, por meio da tecnologia, se modernizam a fim de melhorar seu desempenho e garantir resultados melhores. Com um mercado cada vez mais competitivo, as organizações estão tendo que se adaptar aos novos tempos. Este assunto é relevante não só para empresas, mas também para o setor público e para a sociedade em geral, que quer entender a revolução pela qual o mundo está passando.
This form is currently undergoing maintenance. Please try again later.
+ informações
JULHO
04 de julho | 18h30 KNoT – PLATAFORMA DE SOLUÇÕES DE IOT
Laboratório Cesar
LIVE (Webinar)
KNoT é uma meta-plataforma para internet das coisas completamente open source, com foco em interoperablidade. É uma meta-plataforma porque foi construída a partir da integração de outras plataformas open source para IoT. Sua arquitetura permite integrar várias formas de comunicação sem fio em um gateway multi-rádio e vários serviços de IoT na nuvem, para atender os diferentes requisitos das soluções de IoT. Nesta apresentação o participante irá entender quais os principais componentes de uma solução IoT, como projetar uma solução e como construí-la utilizando a meta-plataforma KNoT.
Acesse a Live: https://www.youtube.com/c/CESARinovacao/live
This form is currently undergoing maintenance. Please try again later.
+ informações
11 de julho | 18h30 GOVTECH COMO FERRAMENTA DE TRANSFORMAÇÃO: O CASO DA PREFEITURA DE MARICÁ / CIDADES INTELIGENTES: O CASO DE NITERÓI
Mesa Redonda: LEMOBS UFRJ – Pedro Kleinpaul, SEPLAG – David Figueiredo
Local: UFF/ Auditório AGIR – Campus Praia Vermelha- Prédio Novo da Física
Fundada por profissionais formados no Programa de Engenharia de Sistemas e Computação da COPPE/UFRJ e Gestores Públicos, a LEMOBS é uma empresa dedicada ao desenvolvimento de soluções web e mobile para cidades inteligentes e integra o ambiente de Inovação do Parque Tecnológico da UFRJ. Seu principal produto é o SIGELU, que foi implantado pela Prefeitura de Maricá para promover a eficiência na gestão pública municipal através do atendimento a gestores e cidadãos nas tarefas de conservação urbana, obras, fiscalização e levantamentos socioeconômicos, permitindo que gestores municipais possam gerenciar as atividades e, em tempo real, encaminhar as tarefas operacionais para as equipes em campo, munidas de smartphones.
+ informações
18 de julho | 17h A MOBILIDADE INTERMODAL POR BICICLETA: ESTUDO DE CASO DAS CIDADES DO RIO JANEIRO E FORTALEZA / A TECNOLOGIA EM AUXÍLIO À CONSERVAÇÃO URBANA
UFRJ – Tatiane Torres, Flora Terra e Marcella Santos
Local: CDL / Rua General Andrade Neves, 31 (sala Emílio Abunahman, 4º andar) – Centro Niterói/RJ
Questões como congestionamentos constantes, longos períodos expendidos para o deslocamento, aumento do nível de poluição atmosférica e aumento no número de acidentes de trânsito são alguns dos problemas diariamente enfrentados pelas grandes capitais brasileiras. Decorrente de fatores múltiplos como o crescimento urbano acelerado, ausência de planejamento e a priorização por investimentos em modais individuais e o modelo rodoviário de transporte. Diante deste cenário a bicicleta surge como modo favorável ao deslocamento de curtas e médias distâncias e como modal de integração com transportes coletivos de média e alta capacidade. A apresentação se propõem a apresentar estudo comparado das políticas públicas de mobilidade por bicicleta desenvolvidas nos municípios do Rio de Janeiro e Fortaleza nos períodos de 2013 a 2016, orientada pelas seguintes questões: quais políticas públicas (leis, programas, infraestrutura, ações de mobilização) de promoção do transporte por meio da bicicleta foram realizadas em ambas as cidades no período entre 2013 e 2016? Em que medida as políticas municipais para bicicleta estavam preocupadas em integrá-la com os modais de transportes públicos, conforme prevê a Política Nacional de Mobilidade Urbana (PNMU – lei nº 12.524/2012)? Para responder as questões serão apresentados o cenário e a relevância da Política Nacional de Mobilidade Urbana, com destaque para o papel da bicicleta, e um mapeamento mais amplo dos instrumentos de política pública utilizados que foram importantes para implementação das políticas de apoio à mobilidade por bicicleta nas duas cidades. O trabalho exporá a análise de alguns instrumentos a fim de responder as perguntas apresentadas, bem como a metodologia utilizada. Além de trazer um cenário e panorama mais atual de ambas as cidades e poder fomentar o debate e construção de diálogos e soluções possíveis que incluam a bicicleta como um modal importante para a melhoria da mobilidade urbana e qualidade de vida de nossas cidades.
+ informações
25 de julho | 18h30 APRENDIZAGEM DE MÁQUINA: CONCEITOS, APLICAÇÕES E FERRAMENTAS
UFF – professores Aline Paes, Flavia Bernardini e Esteban Clua
Local: UFF/ Campus da Praia Vermelha – Auditório do Instituto de Computação
 
AGOSTO
01 de agosto | 17h TRANSFORMAÇÃO DIGITAL: DO CONCEITO À AÇÃO
Cena Digital – Sérgio Hart
Local: CDL / Rua General Andrade Neves, 31 (sala Emílio Abunahman, 4º andar) – Centro Niterói/RJ
 
08 de agosto | 17h O MUNDO NOVO APÓS AS IMPLICAÇÕES DO CRESCIMENTO EXPONENCIAL DAS TECNOLOGIAS
Mundo Exponencial – Alexandro Strack
Local: HUBNit / Rua General Andrade Neves, 31 – 8º andar – Centro Niterói/RJ
 
15 de agosto | 18h30 LEVANTAMENTO DE PROCESSOS : ENTENDENDO O NEGÓCIO/ ANÁLISE DE PONTO DE FUNÇÃO (APF) – MÉTRICA PARA MEDIÇÃO DE TAMANHO DE SOFTWARE PARA O SETOR PÚBLICO
LEMOBS UFRJ
LIVE
Software é um produto lógico, não possuindo dimensões físicas como altura, largura, peso. Dessa forma, os instrumentos utilizados na medição de outros produtos (prédios, pontes, estradas) não são adequados para determinar o tamanho de um produto de software. Assim, é preciso utilizar abordagens de medições especificamente direcionadas à produtos de software para determinar seu tamanho e, assim, precificá-lo. A análise de pontos de função (APF) propõe uma abordagem para a medição do tamanho de um produto de software utilizando uma unidade específica chamada ponto de função (PF). Determinando o tamanho de um sistema de software em PF é possível derivar seu valor. Este curso apresenta uma introdução ao método de contagem de pontos de função.
+ informações
Inscreva-se